Viva São… Pedro! Conheça os lugares na Bahia onde festa supera o São João

0
220

Em certas cidades do interior da Bahia, as comemorações de São Pedro não só são grandes como botam o São João no bolso

 

Apesar de campeão em devoção no Nordeste brasileiro, Santo Antônio é um cara modesto quando se trata de festa. Abre os festejos de junho, no dia 13, com mais reza que bandeirola. Imperador do ciclo junino, São João pega o bastão no dia 24. Haja bomba, licor e forró até o sol raiar.

Aí vem São Pedro. Humilde como Antônio, eis que Pedro — celebrado oficialmente na segunda-feira (29) — se faz pedra em algumas cidades do interior da Bahia. A festa não acabou!

Nos casos de municípios como Muritiba, Serrinha, Itiruçu e Eunápolis e São Francisco do Conde onde São João e o São Pedro é especial- só para ficar com alguns exemplos – São Pedro não só é grande como bota o próprio São João no bolso. Nesses redutos, já é tradição fazer festa profana para o primeiro papa e dono das chaves dos céus.

Diante disso, padre e prefeito se juntam para fazer o que muitos consideram o melhor São Pedro da Bahia. Enquanto a prefeitura investe R$ 500 mil em grandes atrações como Adelmário Coelho (veja box), o padre quer aproveitar para evangelizar quem cai no arrasta-pé.As explicações misturam religiosidade, crenças populares e negócios. Talvez o caso mais peculiar, Muritiba, no Recôncavo, consegue fazer um São Pedro em que o sagrado e o profano praticamente se fundem. Pra começar, Pedro é o padroeiro da cidade, que não faz festa para São João.

“Vejo essa mistura (com a festa profana) como uma oportunidade muito fértil da Igreja evangelizar. A Igreja não pode andar separada da cultura, nem da sociedade. Se ela se fecha, numa atitude moralista, elitista, só vai acolher os de sempre”, afirma padre Josevaldo Carvalho Nascimento, filho de Muritiba, que assumiu a paróquia no recesso do padre José.

“Padre José comunga dessa ideia. Quem disse que fazer festa é proibido? Em João, Jesus transforma água em vinho”.  Cerca de 10 mil pessoas por dia devem marcar presença em Muritiba. O prefeito comemora o fato de ter o maior São Pedro da região.

Se fizesse São João, não poderia competir com cidades maiores. “Optamos pelo São Pedro primeiro pela tradição e segundo porque seria muito difícil competir no São João com Cachoeira, Amargosa, Santo Antônio e Cruz das Almas”, diz o prefeito Roque Luiz.

A devoção a São Pedro na região de Muritiba é anterior ao surgimento da própria cidade. A paróquia de São Pedro do Monte da Muritiba foi criada há 310 anos. O município de Muritiba ainda vai fazer 100. Talvez por isso, sagrado e profano se respeitem tanto.

“A gente tem um relacionamento extremamente positivo com os organizadores da parte religiosa para ter todo cuidado de não descaracterizar as duas”.

PROGRAMAÇÃO

São Francisco do Code
Localização: Recôncavo
Datas da festa: 28 a 29
Distância de Salvador: 70 km
Principais atrações: Magníficos, Calcinha Preta, Daniel Vieira, Saia Rodada, Wesley Safadão, Bete Nascimento

Muritiba
Localização: Recôncavo
Datas da festa: 27 a 29
Distância de Salvador: 149 km
Principais atrações: Adelmário Coelho e Virgílio

Itiruçu
Localização: Centro-Sul
Datas da festa: 3 a 5 de julho
Distância de Salvador: 332 quilômetros
Principais atrações: Forró Fivela de Prata, Fábio e Michel e Gavião Dourado

Serrinha (‘Pedrinho’)
Localização: Nordeste do estado
Datas da festa: 25 a 28 de junho
Distância de Salvador: 198  quilômetros
Atrações de hoje: Del Led e Victor Lopes

Eunápolis (‘Pedrão’)
Localização: Sul
Datas da festa: 26 a 28 de junho
Distância de Salvador: 651 quilômetros
Atração de hoje: Bruno e Marrone

Itacaré
Localização: Sul
Datas da festa: 27 a 29 de junho
Distância de Salvador: 428  quilômetros
Principais atrações: Banda Daniel Vieira, Banda Cueca Branca, Banda É só Filé e Cupim de Ferro

Itiruçu

Nos últimos anos, Itiruçu, na microrregião de Jequié, também se tornou um dos destinos mais procurados no São Pedro. Mais de 40 mil pessoas devem visitar a cidade de 15 mil habitantes entre os dias 3 e 5 de julho.

“A cidade fica lotada. Difícil você achar hotel ou pousada. Talvez ache casa pra alugar”, afirma Simone Nunes, coordenadora da festa, que considera o São Pedro a principal manifestação cultural do município.

Segundo a prefeitura, a tradição do São Pedro de Itiruçu se iniciou na década de 1990, por uma coincidência curiosa. À época, tanto prefeito quanto vice-prefeito se chamavam Pedro. Já que a cidade não tinha São João forte, Pedro Pimentel e Pedro Leite resolveram fazer um São Pedro decente.

Este ano o investimento será de R$ 200 mil. “Por conta da crise, o prefeito pediu que fizesse uma coisa menor. Mas vai ser igualmente bonito”, aposta o chefe de gabinete, Ivan Cerqueira. Paralelo ao São Pedro na praça pública, acontece uma festa fechada para 8 mil pessoas, o “Forró Coffee”, realizada numa fazenda de café.

Pedrinho

Serrinha, no Nordeste do estado,  faz um São Pedro grandioso desde 2009. Quem só conhece a tradicional Vaquejada de Serrinha, que acontece em setembro, nem imagina o investimento no “Pedrinho” – que nada mais é do que um apelido carinhoso, segundo os próprios organizadores. Este ano, começou na quinta-feira e só termina hoje.

Antes, até existia uma festa de São João, mas não era tão expressiva a ponto de conseguir competir com outros tradicionais redutos do santo. Os gestores municipais então enxergaram no São Pedro um bom negócio e passaram a investir pesado na data. Além disso, eles também perceberam que contratar uma banda na época do santo do dia 24 chegava a ser 30% mais caro do que no São Pedro.

“Aqui, na região, a única cidade que tem São Pedro é Retirolândia. Então, criamos uma data alternativa. Quem gosta muito de festa junina curte as outras festas no São João e, depois, vem pra Serrinha”, afirma o prefeito, Osni Cardoso.

Este ano, a festa será menor também pela crise. O investimento é de R$ 150 mil. Em outros anos, já foi de até R$ 700 mil. De qualquer forma, hoje, o Pedrinho é o terceiro evento mais expressivo do município: Serrinha recebe cerca de 30 mil pessoas por dia durante a festa.

Como comparação, durante a Vaquejada, promovida pela iniciativa privada, a estimativa é que até 100 mil pessoas circulem pela cidade. Na procissão do Fogaréu, na Quinta-feira Santa, participam 40 mil fiéis. O Pedrinho é um nome inspirado na festa de São Pedro de outra cidade: Eunápolis. Lá, o Pedrão, se intitula como “o maior São Pedro do Brasil”. E de fato é em se tratando de atrações. Daniel Vieira e Kart Love subiram ao palco e hoje é dia de Bruno e Marrone.

São Pedro é padroeiro dos pescadores e santo de viúvos

São Pedro é considerado o mais sério dos três santos juninos. Dizem que Santo Antônio é o santo casamenteiro, mas é no dia de São Pedro que se escolhe o melhor pretendente. Espécie de multipadroeiro, o primeiro papa da Igreja Católica é também protetor dos pescadores, já que essa era a sua profissão.

Por isso, em seu dia, procissões marítimas ocorrem em diversas cidades litorâneas. Além disso, é o santo das viúvas e viúvos. Os evangelhos falam até na sua sogra, mas não sobre sua esposa. Pedro era viúvo. São Pedro também tem forte ligação com aqueles que desejam comprar casa própria.

Tudo porque Jesus disse: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja”. O catolicismo popular interpretou como se Cristo estivesse lhe escolhendo como guardião das chaves dos céus. É bom lembrar que, no calendário litúrgico da Igreja, o dia 29 de junho é também dedicado a São Paulo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here