Popó castiga argentino 13 anos mais novo e nocauteia rival, desafia Pacquiao e reafirma desejo de cinturão: “Rumo ao penta”

0
236

Após vitória em retorno ao boxe, brasileiro posta mensagem em seu perfil no twitter direcionada ao filipino e reforça vontade de voltar a disputar título mundial no esporte

O campeão voltou. E quer voltar a ser o melhor do mundo. Após seu retorno triunfal no boxe, neste sábado, quando bateu o argentino Mateo Veron por nocaute, o brasileiro Acelino Popó Freitas desafiou o filipino Manny Pacquiao e demonstrou sua vontade de conquistar seu quinto título mundial. Em seu perfil no twitter, o pugilista, de 39 anos, comemorou bastante a vitória deste domingo e reforçou o desejo de voltar a disputar um cinturão.

Popó prometeu. Garantiu que o argentino Mateo Veron, 13 anos mais novo que ele, não apareceria muito no ringue. E cumpriu. Voltando ao boxe aos 39 anos, o brasileiro, tetracampeão mundial em duas categorias, não tomou conhecimento de “El Chino”, de 26 anos. Mantendo a pegada de sempre e a “mão de pedra” que o consagrou a carreira inteira, Acelino Freitas precisou de apenas três rounds para nocautear seu oponente e voltar de forma triunfal ao pugilismo na Arena Santos, em São Paulo, pela categoria super meio-médio, até 69kg. Na plateia, o campeão mundial foi aplaudido por duas lendas do boxe brasileiro: Éder Jofre e Miguel de Oliveira.

A vitória emocionou Popó, que recebeu os filhos no ringue e também a esposa. O pugilista baiano foi festejado pela torcida, que desde o início do duelo provocava o argentino com os gritos de “Uh, Vai Morrer”. O triunfo veio da forma como Popó imaginou. No primeiro round, ele foi com tudo e conseguiu um knockdown ao derrubar Mateo com um direto. No terceiro round, a vitória veio com três quedas do rival, a última com um upper muito bem encaixado e o protetor bucal de Mateo voando longe. Após o triunfo, o brasileiro demonstrou sua alegria com o momento em seu perfil no twitter e chegou a desafiar o filipino Manny Pacquiao. Popó também reafirmou o desejo de disputar o título mundial.

– Pac, por que você não retorna em 2016 lutando contra mim? O combate pode ser no lugar que você quiser! É a dica! Estou de volta ao ringue. Passo a passo. Hoje eu ganhei por nocaute. Em 2016 eu quero a oportunidade do título. WBO (Organização Mundial de Boxe) está no meu coração! Eu voltei e ganhei por nocaute hoje. Em 2016 quero a oportunidade do título – postou o baiano.

Com a vitória, Popó chega ao triunfo de número 40, com impressionantes 34 nocautes. O baiano tem duas derrotas na sua trajetória no boxe profissional. “El Chino” conheceu sua 17ª derrota, a terceira para um brasileiro. Antes, ele havia sido derrotado por Douglas Ataíde e Patrick Teixeira. O argentino tem 21 vitórias na carreira.

A luta contra Mateo Veron não marca uma nova despedida de Popó. O baiano garante que luta novamente em outubro, em Belém do Pará, ainda sem rival definido. E deve fazer um novo combate em dezembro, em Santos. Segundo ele, os dois duelos são um “aquecimento” para 2016, quando Acelino Freitas pretende lutar pelo título mundial de boxe na categoria até 66kg (meio-médio).

popó derruba rival quatro vezes

Popó começou o duelo sem dar espaço para El Chino. Dominou o centro do ringue e marcou seus golpes. O rival tentava trabalhar na longa distância e fazer valer sua envergadura, mas no meio do round 1 o baiano acertou um forte direto de direita que fez Mateo Veron “quicar” e cair de cara na lona. Ele levantou e o árbitro liberou o reinício do combate. El Chino sobreviveu ao round.

O argentino voltou no round seguinte mais cauteloso. Clinchou muito, trabalhou na distância e chegou a tentar acertar dois cruzados de esquerda. Popó recebeu bem os golpes, continuou trabalho seu jogo de pernas, mas também não atingiu muito o rival, que usou o round para se recuperar do castigo do primeiro round.

 Na volta para o round 3, Acelino Popó Freitas tratou de resolver logo a luta. Partindo para cima, ele acertou outro direto em Mateo Veron e o derrubou. O árbitro abriu contagem o argentino voltou. No recomeço, levou outro golpe, mas caiu mais por desequilíbrio. Segundos depois porém, Popó encaixou um upper com violência e jogou longe o protetor bucal de El Chino. O rival caiu desacordado e o árbitro encerrou a luta, dando a vitória a Popó por nocaute.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here