Salvador: Limpurb alerta população sobre descarte indevido de entulho

0
297

As equipes de fiscalização atuam diariamente nos bairros de Salvador e promovem mutirões

 

Sujeira, mau cheiro, degradação do terreno e até mesmo um local favorável para transmissão de doenças. O descarte indevido de entulhos e materiais inservíveis na cidade traz uma série de riscos ambientais e para a saúde da população. Por isso, a Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limpurb) tem realizado fiscalizações na cidade e o resultado é a emissão, por mês, de uma média de 50 multas devido à prática. O valor varia entre R$ 85 e R$ 2.300, de acordo com o tipo de infração.

Os bairros que mais sofrem com o problema são Fazenda Grande do Retiro, São Caetano, Campinas de Pirajá e Marechal Rondon. Um dos métodos de prevenção adotado pelo órgão, vinculado à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), é a realização de campanhas educativas nas comunidades e escolas, para orientar a população sobre a forma adequada de descarte e acerca dos malefícios provocados ao meio ambiente e aos próprios moradores.

As equipes de fiscalização atuam diariamente nos bairros de Salvador e promovem mutirões, em conjunto com outros órgãos nas comunidades que mais sofrem com o lixo e incidência de insetos, roedores e animais peçonhentos. Na última semana de outubro, mais de 18 toneladas de entulho e materiais inservíveis foram recolhidas nos bairros de Canabrava e Castelo Branco. O serviço continua, com periodicidade, em outros bairros da cidade.

Doenças – Além de poluir o meio ambiente, o descarte irregular de entulho é responsável pela proliferação de animais e de doenças, como a leptospirose e as arboviroses – causadas pelo Aedes aegypti. “As pessoas precisam entender que o entulho é uma responsabilidade de quem produz, e que é preciso dar a destinação correta para esse tipo de material. Quem faz o descarte indevido está contribuindo para o entupimento de valas e canais, para a proliferação de mosquitos da dengue e a poluição do meio ambiente. Além disso, o lixo deixa a cidade mais suja e feia e pode provocar o deslizamento de encostas”, diz o presidente da Limpurb, Kaio Moraes.

Como descartar – O cidadão que gera uma quantidade de até 2m³ de resíduos de construção civil ou materiais inservíveis – equivalente a 50 latas, 20 carrinhos de mão ou 45 sacos de aniagem – pode descartá-la no Ecoponto, localizado na Rua Wanderley de Pinho, no Itaigara. Acima de 2m³, o gerador precisa contratar uma empresa autorizada, que levará o lixo para o Aterro Águas Claras Ambiental, na Rua do Bico Doce, no bairro da Palestina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
Secom / Ssa

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here